07 agosto, 2010

Im-agi-n-ação

Eu quero falar, falar bem alto, GRITAR! Falta qualquer coisa, não sei bem. Não sai, não é o normal, mas talvez me queira mostrar algo, algo que me espera. O futuro, é o que me espera, sem dúvida: será ele mau, ou será que não? Sinceramente, tenho medo. Medo de que seja tudo como eu nunca imaginei para mim, para quem eu imaginei, e para aqueles que ainda não imaginaram, por enquanto. Todos temos o direito e o dever de imaginar, de sonhar, de preferir o melhor para a nossa vida, para a nossa existência.
Podemos imaginar, podemos desejar, ou podemos apenas divagar. Mas, para isso, é necessário agir, é necessário mudar algo, nós próprios, o Mundo!
Não adianta dizer que se quer algo, que era melhor que algo fosse de certa maneira, se não fazemos nada para o alterar. É urgente que se pense, não apenas como gostaríamos de algo, mas sim como o podemos realizar!
Eu imagino como será viver no futuro, sem fazermos nada que se adapte a nós e, sinceramente, não me parece que combine.
Vamos lutar todos, sermos todos um só, unirmos, deixarmos de parte aquilo que não interessa, as coisas fúteis, as birras, e tudo o resto, aquilo que nos massacra, que nos dói, que nos mata interiormente! Hoje parei para pensar nisto, espero que outros o façam, também.
Mudemos algo, não só pela nossa existência, mas pela existência de todos os seres, e daqueles que ainda são apenas planos de futuro!
Agirmos deste modo, não nos arrependermos de o fazermos, possivelmente, é o que falta! É tão bom, e fica bem, quando alguém deseja “a paz mundial”, mas é ainda mais fácil e lógico perceber que é impossível, se continuarmos assim, TODOS! Há sempre alguém que está lá para nos magoar, para nos impedir, para nos entristecer, para nos usar da pior forma, e até para nos matar!
Eu escrevi este texto, e caí na imaginação de que seria possível que tudo fosse como queremos, que ainda há esperança de que isto mude, de que sejamos realmente felizes. Por vezes, sinto-me fraco, impotente, incapaz de viver verdadeiramente, como vivo: também preciso de ti, que faças algo que mude “isto”. Eu tentei, agora não vou alterar algo que só tu podes alterar.
Por mais que tente, que me faças sofrer, que me afectes, que sinta que fazes a maior falta de toda, não consigo parar de pensar, que imaginar e sonhar como seria, se fosse tudo diferente. Já deves saber que por minha parte, eu quero "como depois" e não "como agora". Será difícil, mas há certas coisas que não mudam. Talvez sejas uma dessas coisas, lamento.
video

Porque pior que não fazer nada, é nem sequer tentar! Vivamos na esperança de que algo irá realmente mudar, não nos suicidemos desta forma, não matemos a nossa imaginação: vamos continuar a agir e, quem sabe, talvez hajam realmente milagres.

PEACE.

Sem comentários:

Enviar um comentário